Pois agora quero te convencer à me ouvir…

Foda isso, né!? .. (Desculpa ter começado esse post logo com um palavrão, mas…. foda-se).. Mas calma, eu não quero te convencer a ouvir as coisas sobre a minha vida, meus problemas e tals.. Ainda não chegamos nesse ponto. Mas sim, (Oh nãão!!) .. Oh sim, vou falar mais uma vez sobre a Rádio; agora chegando num novo patamar no qual vou tentar dar uma de publicitário e entender o que faz as pessoas ouvirem um programa de rádio como o meu. É mais fácil do que tentar entender o que faz uma pessoa ler esse texto, por exemplo.
É tempo de crise!!! Pois éé, velho! Por incrível que pareça, chegou um momento em que eu cansei de fazer o programa “just for fun”. Tá certo que nunca foi assim, já que sempre existiu uma produção bem legal por trás, o programa sempre foi pensando.. enfim..

Você ouve o programa?? Tem curiosidade de saber o que é?? Então é com você que eu quero conversar..

Mas acho que é a hora de transformar aquilo num verdadeiro exercício profissional. Principalmente exercitando nossa capacidade de capturar o ouvinte. O que torna uma coisa hábito? Será que as pessoas ainda tem hábito de ouvir rádio .. assim .. todo dia “no mesmo horário e nesse mesmo canal”

E isso dá muito trampo?? Acredito que não! A questão fundamental nisso é “pensar” o programa. O tempo que a gente leva pra fazer algo bem ou mal feito é o mesmo.. então façamos bem feito, oras! Não que o programa esteja ruim, claro. O programa está bem naquilo que ele se propõe a ser. Mas poxa, acho que EU tenho condição de propor e dar conta de um formato mais profissional, mais inteligente, mais dinâmico… Sem deixar o humor de lado, já que esse é o ponto G, o orgasmo do programa,.. e sem fazer grandes mudanças na estrutura. Acho que a questão fundamental é uma evolução do formato, o que na minha opinião precisa acontecer. (lembrando que isso sou EU quem acha. Temos mais pessoas tão boas quanto eu no programa…e elas que criem os seus próprios blogs. Só Butina é tão desocupado quanto eu e tem um)

Qual será esse formato ideal?? uno: Acho que mais dinâmico.. na rádio não podem existem buracos de silêncio, e pra isso é necessário uma capacidade de improvisação tremenda. dos: Mais atual: telefone é bacana, é bacana ouvir a voz ouvinte… mas não é todo mundo de que sá bem falando ao vivo, e existem outras formas dessa comunicação acontecer. tres: por melhor que o programa seja, tem que existir aquela pausa tanto pro ouvinte quanto pros integrantes respirarem e retomarem a concentração pro próximo bloco, por isso quero ouvir mais comentários e mais músicas.. Músicas podem ser uma grande oportunidade para o programa;..um dia desses explico porque. cuatro: quero fazer um humor mais inteligente, porque não quero acabar como roteirista do Zorra Total. Sabe? Aquelas sacadas que ninguém faz… aquela piada inesperada, relacionando o tema com outro do passado.. e principalmente a ironia. E eu sou muito irônico. cinco: criticas!! Aproveitar o espaço do programa pra fazer críticas sérias mesmo, tudo debaixo do pano na ironia. sies: ….. calma, depois eu penso outras..

Desde a última vez que o Invasão foi ao ar em 2006 eu evolui. Apesar de tudo, acredito que não estou andando na contramão do meu cérebro.. tomara! Então, poxa, sou capaz de fazer algo melhor… algo que seja mais eficaz para tornar possível a questão fundamental disso tudo: trazer o ouvinte pro programa. Convercer você a me ouvir!

Cansei de ser ouvido apenas por parentes e amigos dos integrantes do programa. E essas pessoas não precisam da Rádio pra me ouvir falar bobagem. Claro que não é só assim, mas muitas das pessoas que ligam para a rádio são essas. Por que?? Será que é timidez?? Será que o formato do programa, que é extremamente íntimo para com os que sempre ligam e participam acaba por afastar aqueles que nunca participaram. Parece pouco, mas as ligações que o ouvinte faz por telefone represantam um dos poucos feedbacks que nós temos. E isso me deixa preocupado..

Tá! Então está decidido que temos que cativar novos ouvintes. E como podemos cativar as pessoas?? Embebedando-as!! NÃO! Não nesse caso…. Preciso começar a pensar em formas de divulgação, e formas de divulgação que possam atingir em cheio o público alvo do programa. Creio que o perfil do nosso ouvinte é o de um público jovem (em idade ou em espírito), antenado e dinâmico. Acho que a internet é uma ferramenta que atinge em cheio esse público. Aí começam as minha idéias: cativar as pessoas durante a semana com mensagens no twitter, mensagens com temas variados, porém divertidas e interessantes. As poucos as pessoas começarão a relacionar o nome “Invasão 1120” com esses temas, tomar gosto pelo tema, e migrar para a nossa mídia principal: O Rádio!

E quanto a criar promoções?? Pelo twitter mesmo?? … Ah, mas você vai me dizer: “Ahhh, mas não é todo mundo que tem Twitter!” … E eu te digo: “Foda-se”,demora 2 minutos para criar uma conta no Twitter. E esse não pode ser nosso único meio de divulgação. Mas só porque poucas pessoas usam o Twitter eu tenho que deixar de tentar fazer uso dele??

Penso em promoções do tipo: “Dê RT nessa mensagem e concorra ao prêmio X hoje”. Precisaremos de patrocinadores é claro, para nos dar o valor do X. Caso contrário teremos que sortear pedaços de concreto da rádio ou jantares à luz de vela com os integrantes do programa. Enfim, quero dizer que acredito que a Internet pode atingir em cheio os novos ouvintes, por poder criar essa afeição entre rádio-ouvinte não só durante as duas horas que o programa está no ar, mas durante toda a semana.

Acho que é essa afeição a verdadeira chave para o sucesso de algo. Afeição com parentes e amigos eu já tenho.. apesar de odiar alguns dos meus parentes. O difícil é criar essa afeição com pessoas que só conhecem minha voz na rádio. Ou mesmo nunca me ouviram.. E tem como criar essa afeição com alguem que nunca ouviu o programa? Fazer acontecer um amor a primeira… ouvida? .. Talvez pra que isso aconteça seja preciso falar o certo na hora certa. Tipo aquela pessoa que liga o rádio e ouve exatamente aquilo que queria ouvir naquele momento.. algo agradável antes de tudo. Falar uma linguagem mais universal que possa atingir o maior numero de pessoas…

Poxa, parce que eu tô realmente me esforçando pra fazer esse programa dar certo. Mas é isso mesmo que eu quero.. até mesmo transformá-lo em um tipo de estágio. O tipo de liberdade criativa que eu tenho naquele lugar é difícil de se encontrar. Pois então vamos ser criativos, vamos inovar, arriscar… Afinal eu tenho muita coisa importante pra fazer; e eu já disse: se for “Just for jun”.. continua legal, mas não precisam de mim para isso. E acredito que tenho talento pra coisa, e quero “tentar” ser profissional.. E é melhor eu parar por aqui antes que começe a disparar minha metralhadora de ego.

Enfim, espero muito respostas, sugestões, críticas… enfim.. de vocês. Façamos de conta que você se interessa pelo Invasão… O que você quer ouvir?? É a minha vez de perguntar agora..

Ahh.. uma última pergunta: “convercer à me ouvir” tem crase??? Não sou obrigado a saber tudo…

Anúncios

Sobre João Paulo

Data Intelligence na Ogilvy. Bacharel em Comunicação Social - Midialogia pela UNICAMP. Me dedico à compreensão, planejamento e execução de estratégias de comunicação em plataformas de mídias sociais. Leio muito sobre sobre Social Media e Transmedia Storytelling. Ver todos os artigos de João Paulo

4 respostas para “Pois agora quero te convencer à me ouvir…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: